Quando pensar em fim do poço como o fim da linha, lembre-se da trajetória lamentável de Adhemar Santillo. O ex-prefeito e ex-deputado não conseguiu costurar uma aliança para se tornar presidente do seu partido, o PSDB, em Anápolis. Na noite de quarta-feira, Santillo foi literalmente escorraçado pelos jovens que gritavam palavras de ordem na reunião a ponto de sua mulher, Onaide, ter de pedir que eles “respeitassem a trajetória” de Adhemar.

A saída do decano foi apoiar a candidatura de Erivelson Borges que já era o presidente e precisou engolir o discurso de mudança e renovação e se manter no cargo. Ele disputou com o delegado Glayson Reis que era apoiado por Ridoval Chiareloto. E Ridoval fez o que sabe fazer de melhor: perder uma eleição.

No final, Erivelson se tornou o presidente dos tucanos na cidade.

Anúncios